quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Ciclo
Escatologia
Continuidade
Uniformidade
Diferença programada
Volta cronometrada

Tá tudo lá, no teu mapa astral
O ciclo e sua duração
O erro e o encontro
O perecível e o depósito incomum
O triste, o belo e o feio
O justo, o correto ao lado do pequeno

Tudo o que tocas, transforma
Muda a textura
Grita teu nome no escuro
Desperta pra sonhar
no pesadelo que tornou-se o adormecer
Transmuta do sólido ao líquido
Da trama ao fio
Da rigidez ao pó

Mas tuas mãos permanecem tocando
Dedos em campanário diante das mesmas aflições
A mesma dificuldade
O mesmo obstáculo
Mas as peles sob as unhas são diferentes
Os pelos não são os mesmos
O sangue é outro, tal qual a circulação

E até que percebas o óbvio e o assuma como exótico
Não natural, posterior, anterior, primordial e originário
Repetido e finalizante
Cortante
Interruptor
Continuarás a tocar e transformar o que toca
Mantendo igual, entretanto
Passando café nos mesmos bules
Retornando para as mesmas saídas fáceis
Escoando pelas saídas de emergência de ontem
Pois está em um ciclo
Escatologia
Continuidade
Uniformidade
Diferença programada
Volta cronometrada.